sexta-feira, 27 de março de 2009

O retorno

Lá vinha eu pela avenida, perdida em meus pensamentos,quando, de repente, ele apareceu. No instante em que a suspresa e a dúvida se alternavam dentro de mim, lembrei-me. Mesmo que queiramos muitas vezes continuar nas avenidas, num sem fim e sem começo, os retornos aparecem para nos lembrar que precisamos voltar no caminho, não por termos esquecido algo, ou errado o percursso. Eles aparecem para nos lembrar de nossas origens, de nossa gente e nosso ar.
Chego das terras de lá e, neste retorno, trago na bagagem da volta, agora maior, muitos sons e lembranças.Trago as avenidas de lá e a vontade de continuar. Quem sabe por meio das palavras poderei para essa avenida voltar?!
Estive num país chamado Índia.Terra de muitas semelhanças e muitas diferenças.De seus milhões de deuses(sim milhões), com suas cores intensas e escrita desenhada, surge a imagem de um país espremido entre a miséria e a ostentação, entre o caos e a tolerância.Surgem as avenidas pelas quais me " perdi".Surge a vontade de traduzir a proximidade das diferenças. Surge a realidade dos fatos, que traduz não só o que nossos olhos vêem, mas acima de tudo o que somos: seres humanos habitando o mesmo espaço e procurando a felicidade.

2 comentários:

brasileirinha disse...

BOM DIA. REALMENTE AS CORES DA INDIA SÃO INTENSAS, SEM FIM E ENCANTADORAS!!!!!!!!!!! VEJO PELO QUE A NOVELA DA GLOBO MOSTRA.

SOU ESTUDANTE DE PSICOLOGIA NO RIO GRANDE DO SUL. TALVEZ POSSAMOS TROCAR IDÉIAS SOBRE O SER HUMANO E SUA DIVERSIDADE E SUAS DIFERENTES REAÇÕES E AÇÕES CULTURAIS.

TENHA UM EXCELENTE FINAL DE SEMANA.

Adriana disse...

Olá Brasileirinha.Bem-vinda ao blog!
Poderemos trocar impressões sim.
Bom final de semana para vc tb.
Abraços, Adriana