quarta-feira, 18 de março de 2009

Conversa Informal com Tatiana Belinky


Tatiana muito bem acompanhada de Visconde de Sabugosa e Emília (foto do arquivo pessoal publicada no site Vivacotia)



A escritora que hoje sopra 90 velinhas, no convite de aniversário a frase escolhida pelos familiares para apresentá-la: "Tatiana, uma criança de 90 anos que conversa com crianças um pouquinho mais novas" (foto do arquivo pessoal da escritora, publicada no site Vivacotia)

Ela primeiro quis ser bruxa, dona de muitos poderes. Não uma bruxa feia, mas uma bela bruxa, como a madrasta da Branca de Neve. Fada, não! Não tinha graça ser boazinha o tempo todo, não poder fazer malcriação, ter que ser sempre certinha. Bruxa é malcriada e poderosa, pode até ser boazinha quando quer. A vontade durou muitos anos e só deixou de existir quando ela conheceu a Emília, boneca de pano do sítio do Pica-pau Amarelo, saída da imaginação do grande escritor Monteiro Lobato a quem ela conheceu. Ela é Tatiana Belinky, tagarela como a bonequinha Emília e uma das mais incríveis e adoradas escritoras da nossa literatura. Com mais de 120 livros publicados, Tatiana completa hoje 90 anos de idade, muitos deles dedicados a escrever para crianças e jovens. Encantadora e super bem-humorada, a escritora está sempre com as ideias a mil por hora. Nascida na Rússia, Tatiana veio para o Brasil, com dez anos de idade, fugindo das guerras civis que assolavam a então União Soviética. Nesta altura, já falava russo, alemão e letão. Aos dezoito anos, após concluir um curso preparatório, começou a trabalhar como secretária-correspondente bilíngue, nos idiomas português e inglês. Aos vinte anos ingressou no curso de Filosofia da Faculdade São Bento, mas abandonou-o em seguida, quando casou-se com o médico e educador Júlio Gouveia. O casal tem dois filhos. Em 1948, Tatiana começou a trabalhar em adaptações, traduções e criações de peças infantis para a prefeitura de São Paulo em parceria com o marido. O êxito desse trabalho foi definitivo para a carreira da escritora iniciante: o casal foi convidado a ter um programa fixo na TV Tupi. Tatiana e Júlio fizeram a primeira adaptação de " O Sítio do Picapau Amarelo", de Monteiro Lobato. O trabalho do casal na emissora seguiria até 1966. Em 1972 Tatiana passou a trabalhar na TV Cultura e em grandes jornais do estado de São Paulo, como a Folha de São Paulo, o Jornal da Tarde e O Estado de São Paulo, escrevendo artigos, crônicas e crítica de literatura infantil. Finalmente, em 1985, Tatiana Belinky despontou como escritora de livros, colaborando em uma série infanto-juvenil. Em 1987 publicou o primeiro livro: "Limeriques", pela editora FTD, baseando-se nos limericks irlandeses. A partir desta publicação, Tatiana passou a trabalhar fervorosamente sobre novas criações, chegando a escrever mais de cento e vinte obras. Suas publicações são acompanhadas por vários prêmios literários, entre eles o célebre Prêmio Jabuti, recebido em 1989. De sua vasta obra, destacam-se "Coral dos Bichos", "Limeriques", "O Grande Rabanete", "Di-versos russos", "Limerique das Coisas Boas", entre outros. Nestes últimos anos, Tatiana Belinky tem também publicado livros de crônicas, memórias e traduções. Tatiana é a convidada da Conversa Informal e num bate-papo descontraído fala da vida, das paixões, das lembranças e , claro, de literatura!

Veja a entrevista completa aqui:
http://docs.google.com/Doc?id=dch9v8w4_13gbnkbvg9

3 comentários:

Nyrah Belinky disse...

Olá... não consegui acessar o link com a entrevista....que pena!!!

Beijos...

Alessandra Roscoe disse...

Nyrah,
Agora está ok. Realmente houve um problema com a publicação da página. Por favor, se você não conseguir o acesso, avise-me.
Um beijo,

Marcelo Maluf disse...

Olá Alessandra,
Que maravilha de entrevista! A Tatiana está sensacional como sempre e as tuas perguntas são pra lá de bacanas!!!PARABÉNS!!!Forte Abraço,
Marcelo