sexta-feira, 13 de junho de 2008

Campanha aberta pela publicação comercial de Maria do Matué

Ele é bárbaro cantando e compondo. Disso, ninguém mais duvida. O que poucos sabem é que Tavinho Moura, violeiro fabuloso, já comparado ao eruditismo de Villa Lobos, agora nos surpreende com seu lado Guimarães Rosa! Não é nenhum exagero ou avaliação passional: Maria do Matué, o livro-CD que faço questão de alardear aos quatro ventos é uma obra-prima! Traz histórias emocionantes e narradas com uma beleza de sentimento, que só mesmo quem é do mato, do rio e do sertão consegue fazer aflorar de forma tão natural, como se assobiasse uma cantiga da infância! A Narrativa é precisa, contagiante! O livro, com ilustrações de Jorge dos Anjos, é daqueles pra deixar exposto. Faz brotar no leitor, mesmo no mais desatento, uma sede de rio, de São Francisco, de Minas... A aquarela de Mário Zavagli só atiça a imaginação, o imaginário em torno dos mistérios da vida ribeirinha. O fato é que essa maravilha literária não saiu comercialmente, foi um projeto patrocinado e que, mesmo sendo um tremendo sucesso de vendas nos shows de lançamento que Tavinho tem feito pelo país, ainda não foi viabilizado comercialmente para que muitos mais possam apreciá-lo! Começo aqui no blog, abertamente uma campanha em favor da publicação já! Atenção senhores editores, vocês não têm noção do que é a pena deste artista que tanto já nos presenteou com sua sonoridade e com suas canções. E pra quem acha que Tavinho será autor de um livro só, já anuncio aqui que os próximos escritos só pelo projeto já criam expectativa e espera. Não quero aqui de modo algum desestimular o músico, tenho até muito orgulho de anunciar que outra obra-prima deste mineiro incrível, essa musical, é a trilha sonora inspiradíssima feita para o curta de animação baseado em meu livro e de Beatriz: "A Menina que Pescava Estrelas" , mas não poderia deixar de registrar aqui o quanto Tavinho se supera e pode surpreender narrando suas histórias e seus causos. Seja em prosa ou em verso, ele tem o dom! Sobre ele e o encantamento tamanho que causou-me o livro Maria do Matué, arrisquei uns versos:

Tavinho tem um quê de passarinho
De Beija-flor que voa baixinho,
Que chega de mansinho, devagarinho
E bem no meio do coração da gente, faz ninho

Deposita lá no miolo, seu pólen bendito
Num bater de asas aflito,
E com tanto dizer bonito
Parece mesmo lapidar o infinito.

De fato, não sou do mato, mas descobri um rio em mim
Descobri que meu intenso derramar não tem fim
Que guardo as histórias dos matueiros no lá bem dentro assim
E que também agora, ancoro barcos no jardim.

Na magia desse rio que vira mar
Esconde-se uma sereia a se pentear,
a cantar, a encantar, a revelar
seu mundo de fazer sonhar.

Nesse rio, nesse mato tem a força de uma Maria,
Maria, que letra não conhecia
Mas como ninguém sabia destilar poesia
Ser em tudo, pura filosofia.

As histórias dessa Maria são todas encantadas
Guardam, como o silêncio das águas paradas
os mistérios de tantas almas plenas de vida, de beleza inundadas
Não podiam, pois, deixar de ser contadas, de ser cantadas.

Maria do Matué é muito mais que um presente
É do rio uma semente
Semente que vira nascente
E faz brotar leito e margem no coração de toda gente!

Alessandra Roscoe

3 comentários:

Fabrício disse...

há pouco mais de vinte anos tenho o prazer de conviver com esta família muito especial."As Pontes" mulheres capazes fortes e admiraveis,parabéns pelo blog.beijão.
ass:
PRESIDENTE DOS MARIDOS DAS PONTES

Alessandra Roscoe disse...

Achei linda a poesia e adorei seu Blog! Você é o máximo!


bjs

Bia!!!!!!!!

Alessandra Roscoe disse...

Bia querida,
Você é sempre motivo de inspiração!
ESpero que se divirta muito com o blog, como eu estou-me divertindo ao fazer!
Amo você!