segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Dica de leitura


Chego correndo para não deixar para amanhã a Dica de leitura da semana! O livro que quero indicar hoje me foi apresentado pela querida Stella Maris Rezende quase sem querer. Ela o presenteou ao filho de uma amiga em comum e leu alguns versos só pra mostrar o quanto o livro era encantador. Ficamos arrebatadas. Versos para os pais lerem aos filhos em noites de luar, de Jorge Jose Letria,  com ilustrações de Andre Letria, publicado em edição caprichada pela editora Peirópolis é lindo! Sim, um livro de versos que já no título instiga pais e filhos ao afeto das leituras compartilhadas. Só por ser um livro de versos já mereceria a indicação. Imaginem vocês o que senti quando Stella, com seu eterno jeitinho de fada, sentada ao lado da nossa amiga que espera quase no nono mês de gestação a chegada de uma Alice, começou a ler:


 "Com versos da cor da lua
és tão grande e pequenino
como esta página branca
em que leio o teu destino.
Dorme agora sossegado
como as nuvens à noitinha
que eu fico aqui a teu lado
com a tua mão na minha.
Com versos da cor da luz
é que eu embalo o teu sono
nessa cadência suave
das cantigas no Outono.
E vêm bruxas e fadas,
duendes e feiticeiras
com mantos feitos de bruma
para saltar as fogueiras.
Com versos feitos de sonho
é que eu te faço sonhar
que és golfinho e rouxinol
ou peixe de prata a brilhar.
E cada linha que tu lês
é perfeita como o traço
de um pintor que te envolve
com as cores de um abraço.
Cada palavra que leres
há-de alargar o teu mundo
acrescentando sentido
ao que sabes lá no fundo,
e aquilo que tu nomeias
passa a ter nome e lugar,
tesouro de sons soletrado
quando te pões a falar.
Cada palavra que aprendes
tem o gosto da aventura
e a magia secreta
que há no acto da leitura.
Cada palavra que escreves
é um fruto já maduro
que cai da árvore dos sons
e tem sabor de futuro.
Cada palavra aprendida
sabe a estrelas e a ilhas
e vai pela mão de Alice
ao País das Maravilhas.
Cada palavra já lida
ao mapa há-de acrescentar
mais uma rota esquecida
que os livros hão-de lembrar.
Cada palavra já lida,
seja em Lisboa ou em Tóquio,
há-de deixar-se
guiar pelo nariz do Pinóquio,
e mesmo se for mentira
aprenderá com o seu guia
o que vale para quem lê
esse dom da fantasia.
Cada palavra que nasce
mesmo no centro da fala
é como um tesouro oculto
no recanto de uma sala,
e pode ser um unicórnio,
dragão ou mesmo arlequim,
transformando-se numa pomba
quando a história chegar ao fim." 
 Claro que não resisti, precisei buscar o livro que ganhou um sentido todo especial pra mim. O presente era para a Viviane e sua Alice, ainda aconchegada no ventre da mãe, na verdade, para o Lucas, o primogênito, leitor voraz, que aos cinco anos adora livros e quadrinhos e se orgulha de ter na biblioteca da casa o seu lugar preferido, o que orgulha também os pais. Hoje consegui o meu exemplar e bem feliz, resolvi que seria a Dica de Leitura da semana. Por plantar poesia, por incentivar o vínculo afetivo forte que se cria entre pais leitores e filhos ouvintes e vice-versa! Por acalantar com versos lindos o meu coração, por alimentar a fantasia de um jeito até meio banal, este livro passou a ocupar um lugar bem especial entre os meus favoritos!

3 comentários:

Tatiana Oliveira disse...

Ai, Ale!!!

Que lindo poema!!! Fiquei emocionada! Agora quero um livro também!!!!! E até imaginei a Stella Maris lendo o poema! Aff! Que emoção!

Gostei da dica!
Beijos,
Tati

Alessandra Roscoe disse...

É lindo mesmo, Tatiana! O livro é um objeto de arte! Pode comprar o seu que voc~e não vai se arrepender! Adorei saber que você passeia por aqui! Um beijo pra você e pras meninas!

Renata Borges disse...

Alessandra, que linda resenha, e que alegria saber que você também gosta deste texto e da edição. Fico muito-muito feliz! Beijos