quinta-feira, 2 de abril de 2009

Dia Internacional do Livro Infantil


Em mais de 60 países é festejado no dia 02 de abril, o Dia Internacional do Livro Infantil. A data homenageia o escritor dinamarquês Hans Christian Andersen, nascido em 2 de abril de 1805. Em nosso País, o analfabetismo ainda não foi erradicado, e o letramento, ou seja, a competência para o uso social da leitura e da escrita, também está longe de alcançar os níveis desejáveis. Em média, o brasileiro lê menos de dois livros por ano e a educação não é considerada prioridade por muitos cidadãos e governantes. Por isso mesmo, a data, mais do que comemorada, deve ser vista como um momento de reflexão. O brasileiro lê pouco, mas está lendo mais que há alguns anos, conforme demonstram as pesquisas, o mercado editorial do livro infantil vem crescendo ano a ano e muitos editores perceberam que comprar direitos autorais não é o melhor caminho para ter obras de qualidade, querem agora vender lá fora nossos livros. As primeiras investidas surpreenderam principalmente pelo interesse que nossa literatura infantil causou no exterior. É inegável a qualidade que a literatura infanto-juvenil brasileira vem ganhando. Temos bons autores, bons ilustradores, editores antenados com tudo o que se faz de melhor e toda a competência para encantar. Na Feira do Livro Infantil de Bolonha, na Itália o resultado desse trabalho bem cuidado chamou a atenção e não foram poucos os livros brasileiros a marcar presença por lá. O estande da Câmara Brasileira do Livro/ Apex/ Editoras Nacionais e Fundação Nacional do Livro Infantil esteve movimentado durante toda a Feira. Os colegas da Casa de Autores que voltaram da Itália cheios de novidades contaram do encantamento geral que, principalmente, os livros para Bebês - e uma biblioteca inteira voltada para eles - causaram. Bom sinal, pois quanto mais cedo se apresenta o mundo do livro às crianças, mais chances elas terão de se envolver, de se tornar leitoras. O livro infantil é, ao lado do livro didático, a porta de entrada das crianças para o mundo das letras, dos números, do desenho; é um portal da inteligência e da sensibilidade. O saudoso poeta Mario Quintana disse que são as pessoas que mudam o mundo, mas a cada dia estou mais certa de que são os livros que mudam as pessoas!
Hoje acordei mais cedo que de costume e saí de casa pouco depois do sol ter explodido no céu, quando, depois das sete horas da manhã, já enfrentava um engarrafamento me surpreendi com um lindo arco-íris daqueles de desenho dos ursinhos carinhosos com moldura de nuvens fofinhas. Não contive a alegria e um sorriso pleno brotou diante da bela imagem. Aquilo foi inspirador, no meio da confusão de carros e de gente aflita querendo chegar logo a algum lugar, eu alcancei o infinito. Assim é com os livros, eles sempre me transportam aos mais incríveis lugares, Hoje tive vontade de abraçar meus livros e sair rodopiando pela rua com muitos deles apertados ao peito, junto do coração numa dança emocionada.

Descobri que no meu pote de ouro do arco-íris tem uma infinidade de livros!

2 comentários:

Raquel disse...

Ale,
Tive vontade de dançar também lendo seu texto. Você é realmente inspiradora...
beijos
Racutia

Alessandra Roscoe disse...

Quer me dar a honra?

Beijos, querida!