segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Dica de Leitura

Que peninha da Dolores! Cheia de dores a dona serpente, na verdade muito carente, tinha dor de cabeça, dor de barriga, dor de dente e até calo no pé! Calo no pé? Alguém na floresta ficou sem entender como podia ter a serpente um calo no pé, se serpente nem tem pé! De tantas mazelas que sofria a cobra, ganhou por lá o apelido de Dolores Dolorida e só é curada de tanta ferida quando é, de propósito esquecida para o grande baile organizado pelos bichos.  Trata de esquecer suas dores, a serpente Dolores e se enfeita toda para curtir a festança. Queria na verdade carinho e atenção e com tanta bajulação de todos que vinham tentar curar suas dores, achou que pra ser uma serpente querida, precisava viver doente, estar sempre dolorida!
Na floresta , Dolores era mesmo mimada, mas a bicharada já não aguentava tanta doença! Da coruja à formiga, tinha sempre algum bicho inventando remédio e cuidando das infinitas dores da serpente dolorida!


E por mais que levassem cuidados, as dores de Dolores não desapareciam!


Talvez Dolores não tenha lido o poeta Mário Quintana que uma vez escreveu: "Se eu pudesse, pegava a dor, colocava a dor dentro de um envelope e mandava de volta para o remetente."
Talvez até tivesse lido, mas a serpente gostava mesmo é de estar doente, só pra chamar a atenção, ser assim, uma espécie de atração...

No fundo, não estava doente a serpente, vivia era muito carente! Dolores Dolorida é uma deliciosa história escrita pela Vera Cotrim e ilustrada com delicadeza pela Tatiana Paiva. O livro é da Editora Rocco, indicado para os pequenos leitores. Mas eu posso garantir que vai ter marmanjo se encolhendo pra dar risada com as dores da Dolores!

Um comentário:

Nossa turma disse...

Olá!!!
Adorei seu blog, eu precisava de uma sinopse da historia da Dolores Dolorida e peguei o seu... espero que não se importe, divulguei seu blog no meu, dá uma olhada,bjos
Elaine.
http://nossascriancaseap.blogspot.com